• Rua Cel. Gabriel Bastos, 371 - Centro - Passo Fundo - RS
  • Seg à Sex 09-12h/13h30-18h

Autor dos arquivos: juarez

Satisfação & Experiência do Paciente

A cirurgia plástica é uma das especialidades da medicina mais completas e complexas, atendo recém-nascidos, jovens, adultos e idosos, homens e mulheres, realizo tratamentos cirúrgicos e clínicos, cirurgias minimamente invasivas e extensas reconstruções. Desde 2005, felizmente venho construindo uma história seguindo o conceito de proporcionar uma cirurgia plástica de qualidade, tendo exclusivamente o paciente como foco.

Ao longo dos anos sempre busquei a excelência em todas as fases dos tratamentos, desde o agendamento da consulta até o dia da alta após a recuperação completa do tratamento proposto. Sempre acreditei, que assim como na medicina, os conhecimentos são a base das transformações e mudança de conceito e como consequência a criação de novas realidades. Assim, busquei formação fora da área médica para poder desenvolver pessoalmente, todos os outros complexos itens do dia a dia de uma clinica de cirurgia plástica. Tópico por tópico, detalhe por detalhe, analisei e junto com a minha equipe apliquei os atuais conhecimentos de gestão para resultados com o objetivo de transformar cada item que faz parte de um atendimento.

De forma progressiva, consegui chegar ao ponto de poder oferecer aos meus pacientes não uma cirurgia plástica ou um tratamento, disponibilizo uma experiência completa. Todas as fases foram estudadas e existem por um único motivo, a satisfação dos meus pacientes.

Seguimos construindo essa estrada tendo o paciente como foco e a qualidade como compromisso.

Agendou uma consulta? Faça a sua parte!

Existem diferentes pontos durante um tratamento realizado pelo cirurgião plástico que dependem exclusivamente de você. Vou descrever os dois principais que são abordados na consulta médica.

O primeiro item é a sua percepção das anormalidades ou queixas que fizeram você buscar um cirurgião plástico, sendo extremamente pessoais. Nesse momento o futuro candidato ao tratamento pode ser classificado em três diferentes grupos, aqueles que apresentam uma percepção realista da situação, outros podem referir anormalidades maiores que a realidade e o último grupo que pode estar relatando queixas mais leves do que realmente são. Cabe ao cirurgião, após realizar o exame físico, avalizar a sua percepção leiga ou então trazer você para a realidade da sua situação.

O segundo ponto é o seu desejo de resultado. Na maior das vezes estão dentro de um limite de normalidade, porem em alguns os desejos são irreais. Aqueles pacientes que estão cientes e buscam um procedimento de forma realista podem seguir o caminho em direção ao tratamento. Já o grupo em que os desejos são equivocados, o profissional deve orientar e em conjunto chegar a um consenso, caso contrario o tratamento deve ser evitado.

Lembre também de informar doenças atuais e do passado, medicações em uso, alergias, cirurgias prévias, gestações, tabagismo, consumo de drogas e atividade física.

Com esse conjunto de dados, o cirurgião plástico irá utilizar o conhecimento, experiência e habilidade acumulados para levar você da situação atual até o objetivo do tratamento.

Cirurgia estética, expressão inadequada!

A definição de estética, de forma literal, é a busca pela melhora da aparência. Pode ser perfeitamente aplicável quando se busca melhorar algo de forma superficial e não invasiva como uma roupa adequada ao seu biótipo, um novo corte de cabelo, uma nova cor da unha e até mesmo uma alteração corporal através de exercícios.

A estética é temporal, varia conforme conceitos momentâneos de beleza

Quando partimos para o campo da medicina, devemos pensar em saúde. Com essa visão, de forma conceitual, acredito que somos autorizados a atuarmos de forma invasiva ou minimamente invasiva, seja com uma cirurgia ou um tratamento, somente quando uma anormalidade está presente. Pensando assim, um diagnostico deve ser feito da anormalidade da anatômica ou da fisiológica do organismo. Simplificando e fazendo uma analogia com qualquer área da medicina, o médico deve saber exatamente qual a doença e indicar o melhor tratamento para o problema, ou seja, qual a medicação, em qual dose e por quanto tempo e eventualmente a necessidade de uma cirurgia.

Transferindo o conceito para a cirurgia plástica, o tratamento bem indicado irá corrigir ou tratar a “doença” tendo como consequência a melhora da aparência.

Concluindo, não existe tratamento sem diagnostico, somente o médico usa o seu conhecimento, habilidade e experiência para oferecer a melhor solução para cada anormalidade que compromete o funcionamento normal ou até mesmo a evolução do envelhecimento do organismo.

Fora desse prisma, você está fazendo realmente um pseudo tratamento, vulgarmente dito “estético”, pense nisso!

Criolipólise, conheça a realidade!

Quem não lembra do Lipostabil e da Hidrolipoclasia não aspirativa? Já foram considerados substitutos da lipoaspiração, após milhares de pessoas terem sido submetidas aos referidos tratamentos, foi evidenciado que não eram efetivos e causavam muitas complicações, acabaram sumindo tão rápido como chegaram. Venho expor aqui algumas considerações em relação a criolipólise, tratamento amplamente divulgado como o novo milagre para o tratamento da gordura localizada.

Qual a sua origem?

Em 2008, iniciaram as primeiras pesquisas referentes à essa técnica, partiram de dois médicos Dr. Rox Anderson e Dr. Dieter Manstein do curso de Medicina de Harvard. Em seus estudos, em porcos, constataram redução de gordura nas regiões resfriadas, sem dano à derme e ao tecido muscular, as quais duraram por ate 90 dias, tempo de acompanhamento dos animais.

Em 2009 foi realizado o primeiro teste policêntrico em humanos. Realizado por Sydney R. Coleman, Barbara M. Egbert, Kulveen Sachdeva, Jessica Preciado e John Allison. O estudo foi feito em 10 pessoas, as quais foram submetidas ao procedimento. A análise do antes e depois foi feita por meio de ultrassom em 9 dos pacientes, os quais se submeteram, também, a avaliações neurológicas e colheita de tecido para biópsia.

Também em 2009, Jeffrey Dover e Elizabeth Tanzi testaram o procedimento em 32 pacientes, com resultados analisados através de ultrassom em apenas 10 indivíduos da amostra.

Como iniciou a sua aplicação nos pacientes no Brasil?

Após estudos em porcos, 42 pacientes tratados e apenas 19 analisados por ultrassom e outras formas de avaliação sem validade cientifica, apareceram os primeiros aparelhos de uso comercial no Brasil, isso no ano de 2013.

Quais os aparelhos disponíveis no Brasil?

Não são disponibilizados aparelhos de empresas de reconhecida qualidade em tecnologias de ponta e de mercados sérios como o Alemão e o Americano. Os aparelhos do mercado brasileiro são importados da Ásia ou nacionais com tecnologia Chinesa. Muitos não possuem registro na ANVISA.

Quem utiliza o equipamento?

Os equipamentos na maior parte das vezes são alugados por empresas para qualquer profissional que queira utilizar a tecnologia, independente da formação. São raros profissionais bem estabelecidos e de reconhecida idoneidade que utilizem o equipamento. As empresas locatárias proporcionam um treinamento relâmpago e a pessoa esta habilitada a empregar a tecnologia. Uma sessão pode custar ate R$ 2000,00, proporcionando um retorno financeiro espetacular para o locador.

Quem são os pacientes?

Usualmente o paciente que busca a criolipolise são pessoas que estão insatisfeitas com o contorno corporal, tem receio de realizar uma lipoaspiração e acreditam na promessa de um resultado rápido, sem complicações e de rápida recuperação.

Qual é a realidade?

Por principio, a gordura localizada possui relevos, ou seja, quando é realizada uma lipoaspiração, aspira – se de forma mais acentuada ao centro, na projeção do ápice do acumulo adiposo e progressivamente de forma menos acentuada nas laterais da adiposidade. A criolipólise não possui esse ajuste fino e até artístico da lipoaspiração, tratando regiões retangulares. Não são infrequentes os casos de queimaduras. É muito frequente, na minha rotina diária, o atendimento de pacientes com hiperplasia adiposa paradoxal. Essa sequela do tratamento, caracteriza – se por um aumento acentuado, na área tratada, de células adiposas envoltas por denso tecido cicatricial. Ou seja, ocorre um aumento de volume, com endurecimento na região, de difícil tratamento, mesmo com o emprego de lipoaspiração.

Qual é o futuro?

Acredito que diferente do que ocorreu com o Lipostabil e a Hidrolipoclasia não aspirativa que sumiram sem deixar grandes lembranças e sequelas. A Criolipólise vai ser lembrada de forma extremamente negativa, por ter exposto pessoas a complicações e sequelas de difícil tratamento. Acredito que os profissionais que realizavam a técnica, como é de costume no Brasil, argumentarão que a técnica era liberada pela ANVISA, assim como foi argumentado no episódio dos Implantes mamários da PIP e Rofil. Os pacientes sempre terão a seu favor o fato de serem leigos no assunto. Pelo fato da saúde ser tratada como um negocio, de forma equivocada em nosso pais, assim que a Criolipólise for deixada de lado, logo aparecerá uma nova técnica substituta, revolucionaria e milagrosa.

O que você procura?
Abrir chat
Podemos te ajudar?
Olá, podemos te ajudar?